SPHERA ANTI SIFÃO

SISTEMA DE DERIVAÇÃO CEREBRAL

Corpo em silicone
Mecanismo esfera e cone em rubi
Compatível com exames de TC e RM

Solicite orçamento

Categorias: ,

A válvula Sphera com anti-sifão foi projetada para controlar a pressão cerebral intraventricular independente da posição do paciente, diminuindo a ocorrência de hiperdrenagem. A válvula é flexível, com design anatômico e baixo perfil de implante, sendo fabricada em silicone transparente de grau médico com estrutura interna em polisulfona. Possui câmara central para bombeamento e proteção contra perfurações nos puncionamentos para coleta de líquor.

Folder em PDF

MECANISMO SPHERA

Funcinamento preciso

O sistema de controle de pressão é alojado no conector de entrada. O mecanismo de funcionamento é composto por esfera de rubi, mola em aço inox e assento cônico. A perfeita adaptação entre esfera e assento permite definir com segurança as pressões de abertura e fechamento do sistema, proporcionando precisão no controle da pressão intracraniana.

A válvula é fornecida em quatro faixas de pressão: alta, média, baixa e extrabaixa, de modo a atender às necessidades individuais dos pacientes. O conector de entrada, fabricado em polisulfona, possui marcações radiopacas de fluxo e pressão, permitindo visualização em exames de imagem.

 

 

 

 

 

MECANISMO ANTI-SIFÃO

Evitando a hiperdrenagem

Alojado no conector de saída, o mecanismo previne a hiperdrenagem ventricular causada pela sifonagem do cateter distal quando o paciente muda da posição horizontal para vertical. O mecanismo é constituído de membrana de silicone flexível que, quando atraída pela pressão negativa do cateter distal, impede ou reduz o fluxo excessivo de líquor (fig.2).

 

Quando o paciente se encontra na posição vertical, a associação dos mecanismos Sphera e Anti-sifão proporciona o equilíbrio dinâmico do sistema, mantendo a válvula funcionando em uma faixa estável de vazão/ pressão. Quando o paciente retorna à posição horizontal, o sistema anti-sifão deixa de interferir no controle de fluxo, e a válvula volta a funcionar na condição inicial (fig.1).

 

 

 

CATETERES

Flexibilidade e radiopacidade

A válvula é acompanhada por cateter ventricular cerebral e cateter peritoneal. Estes são fabricados em silicone macio de grau médico transparente com filete radiopaco, que garante a visualização dos cateteres em exames de imagem.

A dureza do silicone utilizado para a fabricação dos cateteres foi dimensionada para permitir adequada flexibilidade e, ao mesmo tempo, evitar a ocorrência indesejada de acotovelamento no trajeto subcutâneo, que pode provocar obstrução ou diminuição do fluxo de drenagem.

 

PRESSÃO E FLUXO

O gráfico ao lado demonstra o comportamento da válvula Sphera dentro de uma faixa de pressão média (7 a 11cm H2O) inicialmente com o paciente na posição horizontal e depois na posição vertical.

As faixas nos gráficos 1 e 2 representam a região onde as curvas de pressão operam quando submetidas ao aumento progressivo de fluxo de 5 a 50 ml/hora. Os resultados foram obtidos em ensaios “in vitro”.

COMPONENTES

 

1 – Conector de entrada
2 – Corpo em silicone
3 – Câmara para bombeamento e punção
4 – marcas radiopacas de pressão e sentido do fluxo
5 – Válvula de controle de pressão (esfera, assento e mola)
6 – Base em polissulfona
7 – Mecanismo Anti-sifão
8 – Conector de saída

 

 

LEGENDA

Marcação raiopaca para indicação do fluxo de pressão

 

 

 

 

 

DIMENSÕES

Observação: as informações técnicas deste produto não se limitam às características apresentadas neste site. Para informações completas, solicite as Instruções de Uso para contato@ethosgo.com.br